domingo, 20 de agosto de 201720/8/2017
31 99280-4230
Parcialmente nublado
12º
14º
26º
Ouro Preto - MG
dólar R$ 3,15
euro R$ 3,70
MOSTRA DE CINEMA DE OURO PRETO
CineOP promove 12° Seminário do Cinema Brasileiro
NO CENTRO DOS DEBATES, A PRESERVAÇÃO DIGITAL, OLHARES E IDENTIDADES NO CINEMA BRASILEIRO SOB A PERSPECTIVA HISTÓRICA E O DIÁLOGO ENTRE A EDUCAÇÃO E A PRODUÇÃO AUDIOVISUAL INDÍGENA
Portal Carnaval Ouro Preto Ouro Preto - MG
Postada em 08/06/2017 ás 19h53
CineOP promove 12° Seminário do Cinema Brasileiro

CineOP promove 12° Seminário do Cinema Brasileiro - Mostra de Cinema de Ouro Preto 2017.

Até o dia 14 de junho estão abertas as inscrições gratuitas para o Encontro Nacional de Arquivos e o Encontro da Educação: IX Fórum da Rede Kino pelo site cineop.com.br. Entre os dias 22 e 26 de junho serão promovidos 20 debates com participação de 90 convidados nacionais e internacionais.


A 12ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, que acontece entre os dias 21 e 26 de junho, na cidade histórica mineira, eleita fórum privilegiado de discussões e encaminhamentos da preservação, promove no âmbito de sua programação o 12º Seminário do Cinema Brasileiro: Fatos e Memória e sedia o Encontro Nacional de Arquivos e Acervos Audiovisuais Brasileiros, o Encontro da Educação: IX Fórum da Rede Kino – Rede Latino-Americana de Educação, Cinema e Audiovisual e os debates da temática histórica. O Seminário acontece nos auditórios do Centro de Artes e Convenções, um dos locais de realização do evento, e as inscrições devem ser realizadas pelo site (www.cineop.com.br) até o dia 14 de junho. Vagas limitadas.


 O eixo em discussão será Emergências Digitais na Temática Preservação; Quem conta a história? Olhares e identidades no cinema brasileiro, na Temática Histórica; e Emergências Ameríndias, na Temática Educação; considerando que um dos maiores problemas da sociedade brasileira é o acesso aos bens culturais por ela mesma produzidos. Coloca em evidência a necessidade de criar os instrumentos adequados para a prática das virtudes da arte cinematográfica e amplia o diálogo e a reflexão sobre preservação, história e educação aplicadas à produção audiovisual brasileira.


 Ao todo serão promovidos 20 debates com a participação de 90 convidados do audiovisual, acadêmicos, pesquisadores, historiadores, críticos de cinema e três convidados internacionais da Chile, Argentina e México, que vão colaborar com suas experiências, reflexões e propostas sobre as questões centrais das temáticas desta edição atraindo a participação de interessados e do público em geral.


 “Preservadores e educadores vêm buscando uma participação maior e mais ativa no que concerne ao diálogo com os pares, com a universidade, com a sociedade e com o Estado, e a CineOP se colocou desde o início como um espaço para a aproximação dos diferentes agentes e para o incentivo de um trabalho em comum, com vistas a uma mudança significativa nas duas áreas”, afirma a coordenadora do evento e diretora da Universo Produção, Raquel Hallak.


Fique ligado nas informações da 12° CineOP. Reserve sua vaga nas redes de Hotéis e Pousadas de Ouro Preto. Estudantes que tenham interesse podem ficar hospedados em Repúblicas Estudantis de Ouro Preto.


 ENCONTRO NACIONAL DE ARQUIVOS E ACERVOS AUDIOVISUAIS BRASILEIROS


O 12º Encontro Nacional de Arquivos terá dois eixos de discussões - a preservação do patrimônio audiovisual digital sob a ótica das mudanças tecnológicas, oportunidades e desafios e a apresentação do Plano Nacional de Preservação Audiovisual. A proposta é colocar em pauta questões emergenciais sobre a preservação do conteúdo digital e as soluções encontradas para o gerenciamento da volumosa produção de conteúdo e os desafios para o desenvolvimento de repositórios para a conservação de documentos audiovisuais, além do depósito legal de obras financiadas com recursos públicos, e das estratégias de preservação de obras de produção independente num país em que, estima-se, 40% das obras audiovisuais já tenha sido perdidas.


 O Plano Nacional de Preservação também ganha destaque na programação da 12ª CineOP.  O documento é fruto dos Encontros Nacionais de Arquivos e Acervos Audiovisuais, que ocorrem anualmente durante a CineOP. Participaram da elaboração do Plano os membros da ABPA – Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (entidade fundada na 3ª CineOP – 2008) e preservadores audiovisuais de todo Brasil, com o propósito de trazer uma contribuição madura e diretrizes para o exercício e sobrevivência do setor. Nesta edição, serão promovidos  encontros, debates e diálogos com a participação de profissionais que integram a cadeia produtiva do audiovisual – uma oportunidade de ampliar vozes e ações em defesa do patrimônio audiovisual brasileiro, ao mesmo tempo, em que se pretende contribuir para a construção de uma política pública para o setor.


 O debate inaugural, que acontece na sexta, dia 23, terá como tema “Plano Nacional de Preservação”. Estarão reunidos a professora Anita Leandro, da UFRJ; o professor UFsCar e membro do Conselho da Cinemateca Brasileira, Arthur Autran; o presidente da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA), Carlos Roberto de Souza; a secretária do Audiovisual,Mariana Ribas; e o pesquisador Ruy Gardnier; sob mediação da curadora Ines Aisengart Menezes.


 No sábado, 24 de junho, serão realizados os debates “Mudanças tecnológicas, oportunidade e desafios: preservação audiovisual digital” e “Mudanças tecnológicas, oportunidade e desafios: documentos correlatos e valorização de coleções”. O primeiro refletirá sobre as soluções encontradas para o gerenciamento da volumosa produção de conteúdo em âmbito de produtoras, dos desafios para o desenvolvimento de repositórios para a conservação de documentos audiovisuais, além do depósito legal de obras financiadas com recursos públicos e das estratégias de preservação de obras de produção independente.Já o segundo tratará do processo de preservação dos documentos que acompanham as diferentes etapas de produção e recepção das produções, como notas, storyboards, roteiros, releases de imprensa, entrevistas, fotografias, cartazes etc, peças fundamentais para a compreensão e contextualização das obras audiovisuais.


 A experiência internacional na área de preservação será compartilhada no domingo, 25 de junho, com a presença de Andrés Levinson, preservador audiovisual do Museo Del Cine de Buenos Aires, e Tzutzumatzin Soto, chefe do Departamento de Acervo Videográfico e Iconográfico da Cineteca Nacional do México. O tema do encontro será “Mudanças tecnológicas, oportunidades e desafios: a experiência latino-americana na preservação audiovisual”, e serão debatidas as vivências e iniciativas que vêm sendo realizadas por diferentes instituições do continente.


 Na segunda, 26 de junho, serão realizados os debates “Mudanças tecnológicas, oportunidades e desafios: midiativismo”, que convida a uma reflexão sobre os desafios da produção e preservação das imagens em movimento produzidas por indivíduos e/ou coletivos neste âmbito; e “Mudanças tecnológicas, oportunidades e desafios: jogos eletrônicos, mídia-arte e cinema expandido”, que estende a definição de patrimônio audiovisual para outras mídias e práticas, muitas vezes de natureza híbrida e complexa.


 Dois debates reunirão as temáticas Preservação, História e Educação: “Quem conta a história? Olhares e identidades no cinema brasileiro”, na sexta, 23 de junho, com discussões sobre representação e representatividade; e “O passado e o presente: uma perspectiva história e política do olhar”, no domingo, 25 de junho, que discutirá os valores, costumes e perspectivas de um passado e suas ressignificações no tempo presente.


 A Temática Preservação contempla ainda a realização do workshop internacional “Os meios digitais e a preservação do patrimônio audiovisual – O projeto da cinemateca virtual do Chile”, que abordará o projeto pioneiro conduzido pela Cineteca Universidad de Chile de disponibilização em ambiente virtual de parte do patrimônio cinematográfico chileno. 


Informações relevantes do que fazer na cidade Ouro Preto são importantes para o turista curtir a cidade nas horas vagas, vejam em nosso guia de bares e restaurantes ótimas opções de lazer em Ouro Preto.


 ENCONTRO DA EDUCAÇÃO: IX FÓRUM DA REDE KINO


Os debates que integram a programação do Encontro da Educação: IX Fórum da Educação têm diálogo com a temática“Emergências Ameríndias”e o propósito de oferecer um espaçopara diálogos sobre a criação de condições para a emergência de uma outra produção audiovisual e suas relações com o universo da educação, com especial foco na questão indígena.


O debate “Imagens do Pensamento Selvagem”, na sexta, 23 de junho, abordará imagens e pensamentos não-domesticados, que não se subordinam às formas de vida hegemônicas. “Imagem e formação”, no dia 24 de junho, tratará da intensa produção de imagens por grupos indígenas e de iniciativas formais e não-formais de processos audiovisuais e se a fabricação dessas imagens é um modo consistente de combate à permanente ameaça de desaparição dos mesmos povos. A proposta é refletir sobre o exercício da docência a partir da produção de imagens que participam de processos de subjetivação política vinculados a movimentos sociais e históricos e como formar professores atentos às experiências de mediação entre mundos tão díspares.


 A mesa “Podem as imagens matar/salvar?”, no mesmo dia, procura seguir a provocação da filósofa Marie-José Mondzain, segundo a qual é preciso “interrogar-nos sobre a violência da imagem e a imagem da violência antes de qualquer reflexão sobre o que é uma imagem”. Assim, caberia perguntar: o que podem as imagens ao afetar o real? Quais são seus poderes para matar, salvar, educar, transformar?


 Os avanços entre o cinema e a educação serão abordados no domingo, 25 de junho, com um encontro que se propõe aaprofundar a reflexão sobre o percurso das ações de regulamentação da Lei 13.006/14, cujo texto foi entregue em maio 2016 ao Conselho Nacional de Educação, por membros da comissão CINEMA=ESCOLA. A Lei obriga a exibição de duas horas de cinema nacional por mês nas escolas de educação básica. O processo de implementação da Lei 13.006 aconteceu simultaneamente a dois movimentos de significativa importância no país: o acordo MEC-MINC para o próximo biênio e a definição da Base Nacional Curricular Comum.


 “A educação em tempos de produção de imagens ameríndias” propõe um diálogo com o grave momento atual, que pretende apagar os direitos dos povos indígenas à sua terra e às suas formas de viver. O desenvolvimento de políticas afirmativas, de sistemas educativos e a multiplicação de iniciativas de produção audiovisual dos povos ameríndios se convergem numa estratégia de conscientização e reconhecimento que muda o olhar da história, altera o presente e nos projeta de um outro modo para o convívio futuro.


 A temática contará, ainda, com o debate “Emergência ameríndias” na segunda, 26 de junho, que mostrará a produção de imagens no mundo contemporâneo como forma de resistir ao apagamento e à opressão. A mesa partirá do filme “Martírio”, de Vincent Carelli, que mostra uma outra história do Brasil, oculta, esmagada, que emerge com as formas de vida dos povos que resistem física e simbolicamente às tentativas de supressão pelos poderes, pelo Estado, pelo capital.


 Toda a programação da CineOP é oferecida gratuitamente ao público.


Para mais informações sobre a cidade de Ouro Preto, entre em contato conosco.


  ***


Acompanhe a 12ª CineOP - Mostra de Cinema de Ouro Preto e o programa Cinema Sem Fronteiras 2017.


Participe da Campanha #EufaçoaMostra
Na Web: cineop.com.brNo Twitter: @universoprodNo Facebook: universoproducao / CineOP


No Instagram: @universoproducaoInformações pelo telefone: (31) 3282-2366


 ***


ASSESSORIA DE IMPRENSA


Universo Produção  - Lívia Tostes– (31) 3282.2366  imprensa@universoproducao.com.br


ETC Comunicação – Núdia Fusco – (31) 2535-5257 nudia@etccomunicacao.com.br

Newsletter

As principais notícias do Carnaval Ouro Preto 2018 no seu e-mail:

Cadastre seu e-mail acima by FeedBurner

FONTE: www.cineop.com.br